frete grátis em compras para SP e RJ a partir de R$ 150

10% OFF com: PRIMEIRACOMPRA

O Que Tem Na Geladeira? Com a Médica Vegana Laura Mocellin

Frutas, verduras e legumes frescos. Simples, recheada de alimentos vindos direto da natureza. Essa é a geladeira plant-based (e o estilo de vida) da médica vegana Laura Mocellin.

Laura viu na medicina a oportunidade de ajudar as pessoas a aprenderem o significado de saúde, que é muito mais que a ausência de doença física, com uma perspectiva holística e respeitando todos os fatores que geram enfermidades, sejam de ordem física, emocional ou espiritual.

“O veganismo contribui muito para esse objetivo por nos ensinar o significado de amor universal e o respeito para conosco, com os animais e com o meio ambiente como um todo, sendo por isso o meu principal foco de estudos dentro da medicina.”, explica.

Nós amamos a abordagem da Laura, por isso, a convidamos para colaborar com a nossa série “O Que Tem Na Geladeira”. Vem espiar:

Filosofia Alimentar em uma frase:

Minha prioridade é sempre consumir alimentos naturais, vindos da terra, sem modificação, produzidos localmente e com o menor impacto social, ambiental e animal possível, prezando assim não apenas pela minha saúde, mas também pela saúde do nosso mundo.

Indispensáveis na geladeira:

Frutas, verduras e legumes.

Temperos e especiarias favoritos:

Cúrcuma, pimenta preta, salsinha, cebolinha, coentro, noz moscada, cominho.

Fontes de proteínas que mais gosta:

Qualquer tipo de leguminosa, porém sou apaixonada por tofu, lentilha rosa e feijão preto.

Consciência alimentar: truque prático para evitar o desperdício?

A principal dica é consumir produtos que não venham embalados, pois dessa maneira você já economiza o gasto de muito plástico e papel.

Além disso é muito importante consumir os alimentos inteiros, sem retirar cascas e talos sempre que possível, pois tudo faz parte do alimento. As cascas podem ser utilizadas para fazer caldo de legumes ou chips assados, ou mesmo para compostagem, e os talos na maior parte das vezes podem ser comidos ou congelados para serem utilizados em preparações como sucos verdes.

Ingrediente que deixa tudo mais gostoso:

Sinceramente? Amar o que você está comendo, saber quais ingredientes estão no seu prato, de onde eles vieram. Perceber que a cada refeição você está se nutrindo e não apenas se alimentando. Tomar consciência da alimentação, respeitar o corpo e se cuidar torna tudo muito mais gostoso.

Vegetal favorito e como gosta de preparar?

Eu não tenho um vegetal favorito, sou apaixonada pela maioria deles. Mas algo que eu como diariamente é cenoura, pois sempre tem preço acessível mesmo em feiras orgânicas, é super saborosa e pode ser consumida crua, que é como eu sempre consumo, misturada nas saladas.

Basiquinhos: alimentos com o melhor custo benefício:

Depende da época do ano! Minha maior dica é sempre ir à feira e analisar quais alimentos estão com melhor valor. Mas geralmente acaba girando em torno de: alface, couve, cenoura, tomate, repolho, banana, laranja, e claro, as leguminosas, que têm ótimo custo benefício por sustentarem bastante, serem nutritivas e ao mesmo tempo baratas.

Dica para interpretar os rótulos de alimentos e escolher bem:

Tentar consumir alimentos sem rótulo é a melhor dica de todas. Quanto mais alimentos naturais de verdade consumirmos, menos seremos enganados e mais saberemos o que nosso corpo está recebendo de verdade.

Mas em questão de rótulos, nunca acreditar no que está escrito na frente. O que interessa é a lista de ingredientes! Sempre devemos consumir alimentos com o mínimo de ingredientes possíveis, e com o mínimo de nomes desconhecidos na lista de ingredientes. Além disso, saber que eles estão escritos de maneira decrescente, ou seja, sempre o primeiro ingrediente listado é o que está presente em maior quantidade no produto.

Por exemplo, um pão que se diz integral porém tem como primeiro ingrediente Farinha de Trigo Enriquecida com Ferro e Ácido Fólico, é na verdade um pão com mais farinha branca que integral.

Receita rápida para os dias de semana: 

Minha rotina é super corrida e minhas refeições principais são super simples. O que eu mais gosto de fazer e oriento a todos os meus pacientes e amigos é mix de salada feito com o que tiver em casa, tudo cru, apenas picado, misturado com alguma fonte de cereal que pode ser um arroz por exemplo, e uma leguminosa como feijão, grão de bico, lentilha. Temperar com um fio de azeite e limão, e pronto!

Nos lanches ou café da manhã gosto de ensinar a grãomelete, uma panqueca feita com farinha de grão de bico, podendo misturar aveia em flocos junto também. A receita é super simples: misturar as farinhas, temperos a gosto ( podem ser doces ou salgados ) e água para dar um ponto de panqueca. Aí é só dourar na frigideira antiaderente e pronto! Pode ser comido com pasta de amendoim, banana amassada, tofu mexido… é super prático, versátil e saudável!

Curingas da cozinha: o que você deixa pronto na geladeira para os dias corridos?

Sempre tenho vários potes com leguminosas e cereais previamente cozidos, alguns congelados e alguns na geladeira; frutas para salvar ao longo do dia e eventualmente preparo diversas grãomeletes (panquecas de grão de bico que ensinei antes) para consumir como lanches.

Parece, mas não é! Fuja de rótulos que contenham:

Glutamato monossódico, corante caramelo, e qualquer outro ingrediente que esteja escrito “artificial” ou que você nunca tenha ouvido falar no nome. Sempre prefira os naturais de verdade! 

Lugares preferidos para comprar saudável:

Feira orgânica, sempre! Não existe nenhum local como a feira.

Comida que acalma. Sua comfort food:

Banana congelada com pasta de amendoim é minha comida preferida para todas as horas!