frete grátis em compras para SP e RJ a partir de R$ 150

10% OFF com: PRIMEIRACOMPRA

A vida do casal antes e depois da chegada dos filhos

[vc_row][vc_column][vc_column_text]

A vida do casal depois da chegada dos filhos

Imagem: GettyImages

A chegada dos filhos é algo extraordinário, tão pequenos e tão poderosos em modificar o meio em que estão começando a viver. Mas será que estamos tão dispostos a aceitar de maneira romântica todas as mudanças que vem na bagagem?

Uma delas é a mudança na rotina do casal, que se preparou para a chegada dos filhos, mas que só sentiu de fato o que isso representa em suas vidas na rotina intensa dos primeiros meses, ou então nos inúmeros desafios que a educação de uma criança em qualquer idade propicia.

Ter consciência dessa mudança é o primeiro passo para aceitá-la. O casal vai precisar, em muitos momentos, se redescobrir e criar uma nova forma de rotina. Alimentar a sensação de “paraíso perdido” quando não havia tantas amarras causadas por um novo ser é extremamente tóxico para a relação. Mais saudável seria trabalharem juntos para criarem uma nova realidade, agora com a sobreposição de mais um papel que desempenham, que é a de pais.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][dfd_heading subtitle=”” delimiter_settings=”delimiter_style:solid|delimiter_width:80|delimiter_height:1″ tutorials=”” undefined=”” title_font_options=”tag:h4″ subtitle_font_options=”tag:div”]Quando você não se reconhece, não consegue ter empatia para reconhecer seu parceiro[/dfd_heading][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]Como pode a relação ser “a mesma” de antes dos filhos, se cada indivíduo do casal já não é mais o mesmo? Não importa a forma como a parentalidade impacta na vida de uma pessoa. O que importa é que vocês dois passaram por uma experiência completamente nova em suas vidas e isso vai gerar mudanças inevitavelmente.

A tendência quando entramos nessa jornada sem fim de sermos pais é, primeiramente projetar tudo que tivemos de referência sobre esse assunto, e mais comumente é rememorar a nossa posição de filhos. Isso pode ser mais ou menos agradável para cada um e pode ser um primeiro ponto de conflito entre o casal, se não houver empatia para reconhecer no outro os desafios que está passando.

a vida do casal com filhos

Imagem: Unsplash

[/vc_column_text][dfd_heading subtitle=”” delimiter_settings=”delimiter_style:solid|delimiter_width:80|delimiter_height:1″ tutorials=”” undefined=”” title_font_options=”tag:h4″ subtitle_font_options=”tag:div”]A matemática nunca é exata quando se trata de relacionamentos em família[/dfd_heading][vc_column_text]A matemática nunca é exata quando se trata de relacionamentos em família. Principalmente quando estamos construindo ou passando por mudanças significativas no nosso modelo de família. A sensação que alguns casais tem é a de que não sobrará afeto, dedicação para compartilhar com o outro.

Se olharmos racionalmente para o dia a dia de uma família com filhos pequenos, pode até ser que você tenha essa mesma opinião, porque a dedicação que antes era dividida em duas partes, agora precisa ser canalizada naquela criança. Mas é aqui que mora a magia de um relacionamento em família: não há subtração de amor e dedicação, porque quanto mais felicidade você oferecer para o outro, maior será o seu reservatório. O que é preciso saber fazer com sabedoria é canalizar essa energia.

Buscar viver essa fase, sem colocar tantas cobranças e dúvidas se está se saindo bem nesse novo papel, é um caminho para não permitir que essa energia vá embora.

Saber pedir ajuda (dentro de casa primeiramente) demonstrando abertamente seus limites estabelece uma relação de transparência e cumplicidade entre o casal. E cada família transmitirá essa mensagem de uma forma. Encontre a sua![/vc_column_text][dfd_heading subtitle=”” delimiter_settings=”delimiter_style:solid|delimiter_width:80|delimiter_height:1″ tutorials=”” undefined=”” title_font_options=”tag:h4″ subtitle_font_options=”tag:div”]Crie momentos para se reorganizar[/dfd_heading][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]Já ouviram aquela frase “dê a melhor versão de si mesma”? Na minha opinião, isso é uma cobrança velada imposta na maternidade. Nem sempre estamos em nossa melhor versão e nossos filhos precisam saber disso para aceitarem mais para frente suas versões não tão boas de maneira natural. No relacionamento do casal tenho certeza que essa frase não se aplica também, porque ao mostrarmos nossas angústias, incertezas e medos, saímos de um pedestal imaginário e nos tornamos mais acessíveis ao parceiro.

Nem por isso vamos nos acomodar com atitudes dentro da família que sabemos que poderiam ser melhores. É para isso que existem momentos criados para que a mãe ou o pai estejam fora da rotina de cuidados dos filhos, momentos para ter um olhar mais distante de tudo e poder se reorganizar, reencontrar sua essência, relembrar seus sonhos inclusive em relação a maternidade e principalmente em relação ao casal.[/vc_column_text][dfd_heading subtitle=”” delimiter_settings=”delimiter_style:solid|delimiter_width:80|delimiter_height:1″ tutorials=”” undefined=”” title_font_options=”tag:h4″ subtitle_font_options=”tag:div”]É na individualidade de cada um que se fortalece o casal[/dfd_heading][vc_column_text]Lembre-se que tudo está sendo absorvido pelos seus filhos: a unidade “Pais” é o que transmite segurança para a família e quando estão seguros, os filhos tem possibilidade de absorver muito mais tudo que está sendo ensinado através do exemplo.

No entanto, essa unidade é formada da individualidade de cada um, por isso, cuide da sua individualidade, fortaleça o casal e o ambiente familiar será cada vez mais sólido e propício para o aprendizado.[/vc_column_text][dfd_spacer screen_wide_spacer_size=”10″ screen_normal_resolution=”1024″ screen_tablet_resolution=”800″ screen_mobile_resolution=”480″][vc_column_text]

Quer entrar em contato com a Nínive, psicanalista infantil? ninivecav@gmail.com e @kinder_connect no Instagram.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Mãe da Helena, psicanalista infantil, fascinada pelo universo kids muito antes de participar ativamente dele - na época só o marketing preenchia os meus dias de trabalho. O que sempre esteve presente na minha vida foi o interesse pelo conhecimento, uma coisa bem geminiana, não é? E isso sempre me fez conhecer um pouco sobre cada assunto e hoje me trouxe até aqui.